Quadrinhos: Sandman

Sandman - Os Caçadores de Sonhos é uma das obras primas de Neil Gaiman no qual ele exibe todo o seu estilo como escritor e ainda dá aos fãs uma outra história de Sandman, personagem da DC que ele revolucionou nos anos 80/90. O livro traz ilustrações do artista japonês Yoshitaka Amano que, com seus desenhos sensacionais, transforma-se quase que num co-autor da obra.Em dezembro de 1998, os fãs brasileiros dos bons quadrinhos tiveram uma grande perda, quando foi às bancas a última edição da revista Sandman, uma das melhores publicações do gênero nas últimas décadas. O título cativou milhares de leitores pelo mundo inteiro, com histórias permeadas de referências, que misturavam mitologias de vários povos com fatos reais, sempre com uma marca registrada: a qualidade do texto assinado pelo britânico Neil Gaiman.Segundo o autor, a saga do Mestre dos Sonhos foi encerrada porque "toda boa história tem começo, meio e fim; e Sandman era uma boa história". Mas, felizmente, Gaiman deixou uma "porta aberta" para produzir edições esporádicas, onde narraria histórias não contadas do personagem.O Sandman lançado pela Conrad Livros foi produzido em comemoração aos dez anos do personagem nos Estados Unidos e narra a história de um monge budista e de uma raposa com poderes místicos, que se apaixona por ele. A trama possui um lirismo singular e a participação de Sandman é sutil, porém, decisiva. Sandman - Os Caçadores de Sonhos é o resultado de uma feliz confluência de fatos. Tudo começou quando Neil Gaiman transcrevia para o inglês os diálogos do filme de Hayao Miyazaki, Princess Mononoke (Princesa Mononoke). Para se preparar, ele leu muito sobre a história e a mitologia japonesas até encontrar no livro do reverendo B. W. Ashton, Fairy Tales of the Old Japan (Contos de Fada do Japão Antigo), um conto chamado "A Raposa, o Monge e o Mikado dos Sonhos", que possui incríveis semelhanças com Sandman.
Daí, quando veio o convite da DC para realizar uma história para o projeto do décimo aniversário de Sandman, Gaiman sugeriu uma "adaptação" do conto japonês, ilustrada por Yoshitaka Amano, que já havia feito uma arte-ilustração do personagem, numa edição especial. O fruto dessa inusitada parceria é belíssimo! O texto de Gaiman e as magníficas ilustrações de Amano encaixam-se com perfeição, envolvendo o leitor em toda a aura de fantasia que permeia a obra.
E agora, o livro está de volta à Loja Conrad para que você possa fazer sua compra online. Não perca mais tempo e entre em contato com esse que é um dos principais trabalhos recentes de Neil Gaiman.
Histórico de Sandman: Sandman é, sem dúvida, um dos mais enigmáticos personagens de quadrinhos de todos os tempos. Graças aos brilhantes roteiros de seu (re)criador, Neil Gaiman, que o reformulou completamente no final da década de 80, o Mestre dos Sonhos redefiniu o conceito de "quadrinho adulto", arrebanhando milhares de novos leitores em todo o mundo.Só para ter uma idéia de seu sucesso no Brasil, onde as HQs voltadas ao público adulto têm pouquíssima longevidade, a revista Sandman foi publicada pela Editora Globo durante dez anos (1989 a 1999) e foi um verdadeiro recorde para o mercado nacional. Mas, até atingir esse status, Sandman teve outras encarnações oníricas, não tão brilhantes como a atual, porém fundamentais para a concepção do personagem como ele é hoje.Apesar de haver muitas controvérsias sobre o nascedouro do conceito do Sandman, a maioria das versões aponta para o dinamarquês Hans Christian Andersen, que, em 1835, descreveu em contos infantis um personagem que soprava areia mágica nos olhos das pessoas para elas dormirem ou terem pesadelos.Sandman estreou nos quadrinhos em 1939, mas era muito diferente da versão que popularizou Neil Gaiman. Era um milionário que combatia o crime com uma pistola que soltava uma estranha fumaça (para fazer os inimigos dormirem) e uma máscara para protegê-lo do gás e preservar sua identidade secreta. Depois disso, o personagem ganhou outras versões, no estilo super-herói, mas todas de pouca duração, o que o deixou mais tempo fora do que dentro do mercado de quadrinhos.Finalmente, em 1988, Sandman ganhou sua versão definitiva. Neil Gaiman resolveu apostar num personagem que estava no "limbo" da DC Comics, no mais puro esquecimento. O autor começou mudando por completo o seu visual. Sandman ganhou um aspecto pós-apocalíptico, como pele pálida e cabelos negros arrepiados à imagem de Ian McCulloch (do Echo & the Bunnyman). Além disso, o roteirista criou um universo ao redor do personagem, amparado em várias mitologias e também nas suas versões anteriores.Tudo foi muito bem amarrado por Neil Gaiman. Sandman ganhou seis irmãos ­ Morte, Delírio, Desespero, Destino, Desejo e Destruição. Na família dos Perpétuos ou Sem-Fim (como são chamados) surgiu uma das melhores sacadas do autor. Em inglês, todo os nomes começam com a letra D: Death, Delirium, Despair, Destiny, Desire e Destruction, respectivamente.O grande mérito de Neil Gaiman foi trabalhar sobre o fato de que um habitante dos sonhos deve, por obrigação, ser misterioso. Ele abordou o lado psicológico dos pesadelos e ao mesmo tempo em que era capaz de instituir um terror escatológico nas páginas de uma edição; na outra, contava uma história de Shakespeare. Com isso, bem ao estilo de seu personagem, misturou, por várias vezes, sonhos e pesadelos!


Título: Sandman - Os Caçadores de Sonhos - The Dream Hunters
Título original: Sandman: The Dream Hunters
Autores: Neil Gaiman e Yoshitaka Amano
Tradutora: Ederli Fortunato (por questões contratuais, solicitamos que o nome da tradutora seja indicado em toda e qualquer menção que seja feita ao livro na mídia).
Formato: 17 x 26 cm
Número de páginas: 132

Um comentário:

adam disse...

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails